ICU-VITA

Composição:

Vitamina B12 (cianocobalamina) ………………… 1 mg

Água para injeções q.s. ………………………. 1 mL

Pacotes:

Pacotes de 5, 25 e 100 ampolas de 1 mL.

Indicações:

Administração de vitamina B12-1000 UTI-VITA está indicada nas seguintes condições:

Anemia perniciosa

– Profilaxia e tratamento de outras anemias macrocíticas associadas à deficiência de vitamina B12.

Também é indicado para uso diagnóstico, no desempenho do teste de Schilling.

Contraindicações:

Hipersensibilidade à substância ativa ou ao cobalto.

Precauções:

Deve ser confirmada a deficiência de vitamina B12 antes de iniciar o tratamento, pois existe a possibilidade de mascarar os sintomas de degeneração subaguda da medula espinhal.

A administração de cianocobalamina pode precipitar uma crise grave em pacientes predispostos.

A administração de cianocobalamina pode agravar a ambliopatia do tabaco ou a atrofia do nervo óptico hereditário (doença de Leber).

A arritmia cardíaca secundária a hipocalemia com risco de vida tem sido relatada durante o tratamento inicial, portanto é recomendada a monitorização próxima dos níveis plasmáticos de potássio durante as primeiras 48 horas, com administração de potássio se necessário.

Casos de choque anafilático e morte foram relatados após a administração parenteral de vitamina B12. Portanto, recomenda-se que seja administrada uma dose de teste intradérmico antes da administração em pacientes com suspeita de sensibilidade à vitamina B12.

Pacientes com anemia perniciosa devem ser avisados que necessitarão de tratamento mensal com vitamina B12 injetável pelo resto de suas vidas para evitar a recorrência da anemia e o desenvolvimento de danos incapacitantes e irreversíveis aos nervos da medula espinhal.

Se a deficiência de vitamina B12 não for corrigida, pode ocorrer lesão degenerativa permanente da medula espinhal já no terceiro mês.

Administração de ácido fólico em doses superiores a 0,1 mg/dia pode resultar em remissão hematológica em pacientes com deficiência de cianocobalamina, mas não corrigirá distúrbios neurológicos, que se não tratados com cianocobalamina resultarão em danos irreversíveis. O paciente deve ser alertado sobre o risco de tomar ácido fólico em vez de vitamina B12, pois o ácido fólico pode resolver a anemia, mas permite que a degeneração subaguda associada progrida.

A administração de cianocobalamina em doses superiores a 10 microgramas/dia pode produzir resposta hematológica em pacientes com deficiência de folato. A administração indiscriminada pode mascarar o diagnóstico real.

Uma dieta vegetariana que não contenha produtos animais (incluindo produtos lácteos ou ovos) não fornece cianocobalamina.

A necessidade desta vitamina aumenta durante a gravidez e a lactação. A deficiência tem sido relatada em crianças amamentadas de mães vegetarianas, embora as mães não tivessem sintomas de deficiência na época.

Os valores de hematócrito, reticulócitos, folato e ferro devem ser determinados antes de iniciar o tratamento. A contagem de hematócrito e reticulócitos deve ser repetida diariamente, do quinto ao sétimo dia de tratamento, e depois até o hematócrito estar normal. Se as concentrações de folato são baixas, deve ser administrado ácido fólico. Se os reticulócitos não aumentarem após o tratamento ou não atingirem pelo menos o dobro da concentração normal desde que o hematócrito esteja abaixo de 35%, o diagnóstico ou tratamento deve ser reavaliado. Testes repetidos com ferro e ácido fólico podem revelar outra doença que pode inibir a resposta da medula.

Patientes com anemia perniciosa têm uma incidência três vezes maior de carcinoma do estômago do que a população em geral e devem ser testados de acordo.

Interacções:

Administração de cloranfenicol e outros depressores da medula óssea pode diminuir a resposta terapêutica à vitamina B12 por antagonismo à acção hematopoiética da vitamina. A resposta hematológica à vitamina B12 deve ser cuidadosamente monitorada em pacientes que recebem ambos os medicamentos, e antiinfecciosos alternativos devem ser considerados.

A administração de contraceptivos orais pode diminuir as concentrações séricas de vitamina B12, embora seja improvável que esta interação seja de relevância clínica.

Metformina pode reduzir os níveis séricos de ácido fólico e vitamina B12. No entanto, é pouco provável que se desenvolva uma deficiência clinicamente significativa se a ingestão de vitamina B12 na dieta for adequada.

Oxido nítrico desativa a forma de cobalamina da vitamina B12 por oxidação. Sintomas de deficiência de vitamina B12 (neuropatia sensorial, mielopatia, encefalopatia) podem ocorrer dentro de dias ou semanas após a exposição à anestesia por óxido nítrico em pessoas com deficiência de vitamina B12 subclínica. Por este motivo, os níveis de cianocobalamina devem ser verificados em pessoas com factores de risco de deficiência de vitamina B12 antes de usar anestesia por óxido nítrico, e se os sintomas se desenvolverem após o uso, o tratamento com doses elevadas de vitamina B12 deve ser iniciado.

Pode ocorrer uma redução nos níveis séricos de vitamina B12 quando a terapia com zidovudina é iniciada.

Metotrexato, pirimetamina e a maioria dos anti-infecciosos invalidam os ensaios sanguíneos de diagnóstico microbiológico para vitamina B12 e ácido fólico. Antes da administração de cianocobalamina podem causar testes falso-positivos para anticorpos a fator intrínseco, que estão presentes no sangue em aproximadamente 50% dos pacientes com anemia perniciosa.

Reações adversas:

Este medicamento é geralmente bem tolerado. Reações alérgicas raramente têm ocorrido após a administração.

Se ocorrer sensibilização devido ao uso de cianocobalamina, esta deve ser tratada de acordo com um regime específico, sob supervisão médica, incluindo anti-histamínicos e/ou corticosteróides. Em casos graves, técnicas especiais de reanimação devem ser utilizadas.

– Desordens gastrointestinais: diarréia leve transitória, náuseas.

– Desordens gerais e alterações no local da administração: dor no local da injeção.

– Desordens de pele e tecido subcutâneo: urticária, prurido, exantemas exânticos.

– Desordens gerais e perturbações no local da administração: sensação de edema em todo o corpo, mal-estar, calafrios, febre e afrontamentos.

– Desordens do sistema nervoso: tonturas.

– Desordens do sistema sanguíneo e linfático: choque anafilático e morte, policitemia vera.

– Metabolismo e distúrbios nutricionais: hipocalemia.

– Distúrbios cardíacos: insuficiência cardíaca congestiva (no início do tratamento).

– Distúrbios vasculares: trombose vascular periférica (no início do tratamento).

– Distúrbios respiratórios, torácicos e mediastinais: edema pulmonar (no início do tratamento).

– Distúrbios oculares: atrofia do nervo óptico.

O tratamento da deficiência de vitamina B12 pode revelar policitemia vera, que se caracteriza por um aumento do volume sanguíneo e da contagem de eritrócitos. A correção da anemia megaloblástica com cianocobalamina pode resultar em hipocalemia fatal e gota em indivíduos suscetíveis, e isso pode mascarar deficiência de folato na anemia megaloblástica.

Posologia:

Este medicamento é administrado apenas por via intramuscular.

Anemia perniciosa: o programa de dosagem é: 1000 microgramas/dia durante 1 semana no início do tratamento, 1000 microgramas/semana para as 4-8 semanas seguintes e 1000 microgramas/mês como dose de manutenção. Com este regime, os depósitos hepáticos podem ser reabastecidos nas duas primeiras fases do tratamento (diário e semanal) e uma nova depleção pode ser evitada com o tratamento de manutenção (mensal).

Profilaxia e tratamento de outras anemias macrocíticas associadas à deficiência de vitamina B12: a dose a ser administrada é de 1000 microgramas/mês.

Teste de resfriamento: uma injeção intramuscular de 1000 microgramas de cianocobalamina, de acordo com as instruções do estudo.

Gravidez e lactação:

Gravidez

Não foram realizados estudos detalhados e bem controlados em mulheres grávidas. No entanto, a vitamina B12 é uma vitamina essencial e as suas necessidades são aumentadas durante a gravidez. A quantidade recomendada de vitamina B12 em pacientes grávidas é de 4 microgramas/dia.

Lactação

Vitamina B12 é excretada no leite materno, mas seu uso é compatível com a amamentação.

Vitamina B12 em leite materno concentrações aproximadas de vitamina B12 no sangue materno.

Quando a cianocobalamina é prescrita a esses pacientes em casos de deficiência, uma dose de 1000 microgramas a 5000 microgramas deve ser administrada durante um período de duas ou mais semanas.

Overdose:

Cyanocobalamina (vitamina B12) pode ser considerada uma substância ativa muito segura com uma ampla margem terapêutica.

Não foram relatados casos de overdose. Reacções alérgicas generalizadas podem manifestar-se por fraqueza, taquicardia e sudorese, diminuição da tensão arterial sistólica, prurido ou urticária. Nestes casos, a resposta à injecção subcutânea de epinefrina é rápida.

Em caso de envenenamento chamar o C.I.A.T. (Centre for Information and Counselling on Toxicity). (Centro de Información y Asesoramiento Toxicológico), Hospital de Clínicas, Tel: 1722.

.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.