O que é “a mão de Fátima”?

Categorias:Arte & Cultura

José Luis Vázquez Borau – publicado em 15/08/18

>

Um amuleto ou amuleto generalizado que muitos usam como amuleto ou acessório da sorte sem compreenderem totalmente o seu significado.

>

A descoberta arqueológica revelou que o uso de amuletos era uma prática comum entre as antigas culturas que viviam em terras bíblicas. Os amuletos são, em termos gerais, objetos encantados que as pessoas usam para se proteger do mal e dos ferimentos, ao mesmo tempo em que trazem boa sorte, que não deixaram de ser populares em nossos próprios dias e idades. Um deles, usado principalmente em pingentes e pulseiras é “a mão de Jamsa”, também conhecida como “a mão de Fátima”

História deste símbolo

Jamsa é a palavra para “cinco”, em árabe. O uso deste talismã tem sido documentado desde os tempos antigos. É possível que ele tenha sido incorporado às culturas africanas e mediterrâneas do Oriente Médio como uma evocação do motivo conhecido da “mão de Deus”, que pode ser visto na iconografia judaica já em 244 nos afrescos da Sinagoga de Dura Europos na Síria. Mais tarde foi adoptada pelos Cartagineses, pois foi associada à deusa Tanit, padroeira de Cartago, e passada aos berberes e aos magrebinos (também conhecidos como africanos romanos). Assim, as culturas judaica e árabe adotaram a jamsa como uma influência externa.

Simbolismo da “mão de Fátima”

>

A jamsa é um símbolo formado por uma mão com cinco dedos, com o dedo médio bem no centro. Ao dedo médio estão ligados o dedo indicador e o anelar, que são um pouco mais curtos do que o dedo central, mas partilham o mesmo tamanho entre si. Nos lados, há dois polegares, também do mesmo tamanho, ligeiramente inclinados para fora.

O símbolo não vem directamente do Islão. Embora no Alcorão a superstição seja proibida, os cinco pilares do Islão são frequentemente representados pelos cinco dedos da “mão de Fátima”. O povo judeu usou-o para representar o Pentateuco, os cinco livros da Torá.

Este símbolo pode na verdade ter mais do que um significado para os seus aderentes, dependendo se é colocado para cima ou para baixo. Para cima, que é a posição original, indica bênção; também é usado como proteção contra “o mau-olhado”. Quando apontado para baixo, o seu significado muda, pois normalmente inclui “o olho de Fátima” – também conhecido como o “Olho Turco” – que normalmente é azul e diz-se que atrai a sorte.

O que significa o nome de Fátima?

Fátima az-Zahra (“a luminosa”, em árabe) era a filha de Maomé, o profeta fundador do Islão. Ela nasceu em Meca, a 27 de Julho de 604. Conta-se que seu marido Ali, um primo do profeta, trouxe uma concubina para sua casa enquanto Fátima preparava o jantar. Ela experimentou tanta angústia e dor no seu coração, dizem, que nem sequer reagiu à sua dor física ao cortar e queimar a sua própria mão. Ali percebeu o seu erro e dedicou-se totalmente a Fátima, segundo a história.

Uso da “mão de Fátima”

Aderentes do judaísmo, islamismo e alguns cristãos do Médio Oriente parecem preservar o motivo folclórico da mão conhecida como “jamsa”, muito provavelmente como uma referência à “mão de Deus”. O que no passado pode ter sido usado como amuleto, amuleto da sorte ou talismã hoje tornou-se mais uma expressão de uma fé monoteísta tanto por judeus como por muçulmanos, como uma lembrança de Deus e uma expressão do seu desejo de receber as suas bênçãos e protecção.

Na cultura popular, o jamsa é mais um motivo decorativo. Mas há algumas pessoas que lhe conferem um valor fetichista e supersticioso, como algumas pessoas lhe confeririam a uma ferradura ou a uma perna de coelho, acreditando que estas lhes trarão boa sorte. Mas além disso, o jamsa não tem um significado neo-pagão entre os adeptos das religiões monoteístas Abraâmicas. Para eles, o jamsa é simplesmente uma expressão do seu desejo de que Deus os proteja, os abençoe e os proteja. Como uma espécie de “ícone”, todas estas expressões têm como referência última “a mão de Deus”

O uso da “mão de Fátima” como amuleto

Se sentirmos a necessidade de protecção contra o mal e contra os poderes demoníacos, Deus tem algo muito melhor para oferecer do que amuletos, como encontramos na Carta aos Efésios 6: 11,14-17: “Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar contra as artimanhas do diabo. Levantai-vos, pois, e prendei o cinto da verdade ao redor da cintura, e vestei a couraça da justiça. Como sapatos para os vossos pés, calcei tudo o que vos prepare para proclamar o evangelho da paz. Com tudo isso, tomai o escudo da fé, com o qual podereis apagar todas as flechas flamejantes do maligno. Tome o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus”

Confiar nos amuletos é deixar de confiar na providência amorosa de Deus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.