Programa de Segurança

Um Guia Passo a Passo para o Estabelecimento de um Programa de Segurança

Antes de uma empresa poder se engajar na construção, fabricação ou outros empreendimentos propensos a riscos, ela deve ter um programa de segurança e saúde em vigor. Esse programa não só reduz drasticamente os incidentes relatáveis, mas também ajuda a garantir que as empresas estejam em conformidade com padrões de sistema como Z-10 e a próxima ISO 45001. A não conformidade pode produzir dezenas de milhões de dólares em responsabilidades legais mesmo quando não ocorrem incidentes de segurança.

É importante entender que a segurança e a saúde são implementadas como um programa, não como um projeto:

Programa

Um programa é uma iniciativa contínua e interfuncional que reúne pessoas e recursos para alcançar objetivos contínuos. Um programa de segurança nunca está completo até o dia em que um negócio fecha. Ao invés disso, representa uma atividade contínua a ser refinada ao longo do tempo. Não importa quão eficazes sejam seus protocolos de segurança, eles podem sempre ser melhores.

Projeto

Um projeto é um esforço de curto prazo para aproveitar pessoas e recursos para atingir um objetivo específico, limitado no tempo. Os projetos tendem a ter orçamentos mais baixos e envolvem menos pessoas do que os programas. Como um programa, um projeto específico tem objetivos que podem ser relatados e marcos a serem cumpridos, mas um projeto é feito quando um “marco final” é atingido.

Desde que muitas empresas que têm programas de segurança e saúde são orientadas por projetos, especialmente na indústria da construção, pode ser fácil ignorar o quão complexa a segurança pode ser. Um bom programa de segurança requer planejamento de longo prazo, visão e compromisso em toda a empresa.

Vejamos quatro passos-chave para se manter um programa de segurança e saúde:

Passo 1: Entenda os Papéis da Administração e dos Funcionários

Um novo programa de segurança só pode ser bem sucedido quando a administração e o pessoal trabalham juntos. Enquanto os gerentes – particularmente o chefe de segurança – atuam como os arquitetos de uma visão de segurança, somente os trabalhadores podem trazer a vigilância diária e o incentivo vital para o seu funcionamento.

Ao projetar um programa, é crucial que o pessoal no local de trabalho veja a gerência contribuindo para as políticas de segurança, melhoria e revisão. Cabe à gerência evangelizar o programa e assegurar que cada parte interessada entenda os detalhes que se aplicam a eles.

Nos estágios iniciais, as obrigações de saúde e segurança devem ser integradas nas descrições de cargos e políticas de RH. A autoridade de cada função relacionada ao gerenciamento da segurança deve ser inequívoca para que os excessos possam ser corrigidos prontamente – e as avaliações de desempenho devem incluir segurança!

Além das políticas do local de trabalho e dos requisitos de relatórios, os objetivos de segurança devem ser estabelecidos na etapa 1. Sem objetivos claros e mensuráveis, é impossível monitorar o impacto de políticas individuais. Uma política clara de resposta a incidentes deve incluir análise da causa raiz e lições aprendidas.

Passo 2: Análise dos Riscos de Segurança no Local de Trabalho e Melhores Práticas

Embora a estrutura de uma política de saúde e segurança esteja em vigor, ela precisa ser informada com dados sobre os perigos específicos que o pessoal enfrentará. Isto frequentemente envolve trabalhar com consultores externos cujas observações de base equipam o chefe de segurança com os conhecimentos necessários.

Durante este tempo, relatórios iniciais de Análise de Perigos do Trabalho são preparados. A liderança de alto nível cria os procedimentos necessários para mitigar futuros perigos introduzidos por novos equipamentos, materiais ou processos de trabalho. Quando todos os procedimentos e políticas estão em vigor, o pessoal do local de trabalho é informado sobre todos os perigos existentes e treinado na resposta aos perigos e nos relatórios.

Neste momento, uma equipe mensal de inspeção do local é organizada. A liderança dessa equipe muitas vezes gira para que cada parte interessada se aproprie da segurança no local de trabalho. A equipe deve incluir tanto os funcionários de hora em hora quanto a gerência. Uma inspeção completa do local de trabalho deve ser concluída uma vez por semana, com todos os potenciais riscos de segurança documentados na íntegra.

Provisões para inspeções anuais também devem ser feitas nesta etapa.

Passo 3: Prevenção e Controle de Riscos no Local de Trabalho

Prevenção contínua de riscos envolve o trabalho, muitas vezes desafiador, de garantir que todo o pessoal siga as normas o mais rigorosamente possível em todos os momentos. O diretor de segurança tem deveres óbvios aqui, incluindo a defesa da eliminação de perigos e da redução de riscos ambientais.

Os diretores de segurança também devem agir como defensores da responsabilidade na segurança no local de trabalho. Embora os programas sejam frequentemente muito bem sucedidos no início, a segurança é uma “maratona, não um sprint”. O CFO deve comunicar como a segurança afeta os objetivos do negócio, às vezes de maneiras inesperadas.

Por exemplo, incentivar o desempenho da segurança máxima pode envolver a implementação de bônus ou outras vantagens para a manutenção da segurança excepcional de uma equipe. Isso pode incluir negociações em altos níveis para garantir que o pessoal que está sujeito a riscos no local de trabalho não seja programado em excesso.

Controle contínuo de riscos também implica garantir que os primeiros socorros e cuidados médicos de emergência estejam disponíveis em caso de incidentes. Qualquer registro de saúde dos funcionários deve ser mantido em estrita confidencialidade. As acomodações devem ser feitas para lesões no local de trabalho e outros problemas de saúde.

Passo 4: Implementar Treinamento Contínuo e Processos de Refinamento

Para garantir a saúde e segurança ideais, o novo pessoal deve passar por um rigoroso programa de treinamento em várias etapas, incluindo a supervisão um-a-um de um especialista em segurança do pessoal designado, conforme necessário. O pessoal titular deve também ser submetido a um treinamento periódico. Uma reunião bianual de segurança “todas as mãos” pode ajudar a manter o pessoal atualizado.

As informações anuais sobre segurança são compiladas, o diretor de segurança e outros designados devem compilar “lições aprendidas” e estar preparados para relatar os perigos significativos, as ações tomadas e como a mudança de procedimentos tem impactado o ambiente de trabalho.

Como um novo programa de segurança se relaciona com empregos ou locais de trabalho individuais?

Quando o pessoal se torna ativo em novos locais de trabalho, é importante certificar-se de que todos os aspectos do seu programa estão em vigor antes do apito no primeiro dia de trabalho. Isto pode ser complexo em situações em que você está trabalhando em um local de propriedade do cliente.

Ao rever a postura de segurança de novos locais de trabalho, é uma boa idéia olhar para ela da perspectiva das Cinco Funções Principais da Gestão Integrada de Segurança. O “Gerenciamento Integrado de Segurança” é um padrão do Departamento de Energia dos EUA.

Este processo condensado, de cinco etapas, inclui estas referências:

  • Definir o Escopo do Trabalho: Traduza a sua “missão” geral em objectivos accionáveis com expectativas e prioridades claras. Certifique-se de que os recursos estão disponíveis para que todos os membros da equipe façam sua parte na segurança do trabalho.
  • Analisar os Perigos: Identificar, analisar e categorizar os principais perigos no local de trabalho. Elaborar um plano adequado para o monitoramento do local de trabalho e a identificação de novos perigos com base na natureza e no cronograma do trabalho.
  • Desenvolver e implementar controles: Identificar os padrões de segurança básicos e os controles necessários para mantê-los. Prevenir e mitigar os perigos, integrando novas informações da análise em curso, conforme necessário.
  • Realizar o trabalho: Confirmar a prontidão de todas as partes interessadas para realizar o trabalho de forma segura e responsável. Nos estágios iniciais do trabalho, esteja preparado para acelerar as mudanças para garantir que quaisquer excessos sejam corrigidos.
  • Reúna Feedback e Faça Melhorias: Recolher feedback de forma planeada e ad hoc, sintetizando os dois numa base regular. Identificar oportunidades para mudanças positivas e levá-las adiante.

Nunca Esqueça: Um Oficial de Segurança é um Líder Estratégico

Combinando as duas abordagens acima, torna-se possível para um líder de segurança ver o trabalho em mãos tanto de uma perspectiva estratégica como táctica. A segurança é muitas vezes considerada um “centro de custos”, mas as operações diárias dependem da excelência da segurança. Os líderes de segurança não devem hesitar em defender as mudanças necessárias para ajudar as equipes a fazer o melhor de forma segura e eficaz.

Aprenda Mais

Aprenda a identificar e analisar potenciais perigos, infrações e riscos no local de trabalho através de um bacharelado em segurança no trabalho on-line. Na Eastern Kentucky University, você ganhará uma educação de nível superior por educadores experientes da indústria e profissionais de incêndio e segurança que estão empenhados em ensinar e prepará-lo para o sucesso contínuo.

>

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.